28 dezembro 2010

09 dezembro 2010

tornado in Tomar???

and guess what?
A tornado hits my home town!! Can you believe it? Huge amount of destruction everywhere, dozens of people wounded, fortunately no relatives affected and no one seriously hurt.

OBRIGADO a todos os que telefonaram e/ou mandaram mensagem a mim e a familiares. FELIZMENTE ESTAMOS TODOS BEM.


02 dezembro 2010

a caminho









do infantario do David. 8.00am.



01 dezembro 2010

'e a crise (desabafo)

Tenho assistido a' "crise" de Portugal com os olhos de fora de quem esta' ausente do pais ha' quase 5 anos. Sai' quando o pais estava "em crise". Regresso sempre com o pais "em crise".
E de mais, nao se fala...
As conversas de cafe' , entre familiares e amigos sao inevitavelmente as mesmas, 'e a crise! Tudo esta' mau! Uiii, isto esta' muito mau!!
ok, ja' percebi. De facto as coisas nao estao famosas...mas bolas! Nao sera' precisamente essa avalanche de pessimismo que nos carrega ainda mais para o fundo? Nao havera' mais nada de interessante a falar? Quero partilhar aqui o blog de uma amiga minha que me fez sorrir com este post e estes seguintes numa onda refrescante de optimismo.
Quantas vezes me apeteceu gritar ao mundo: olhem para o que vos faz sorrir e nao o contrario! Quantos debates la' em casa entre familiares....
Conta-me a minha mae que no tempo dela uma sardinha dava para 4 pessoas! ( nao sei se a historia 'e comum a alguem...). Hoje nao conheco ninguem que so' coma uma, quanto mais a divida! Nao conheco ninguem que nao tenha um telemovel, a maior parte dos meus casais amigos tem um carro CADA um, tem um portatil CADA um, muitos com o ultimo i-pod..o ultimo iphone, tem casas confortaveis com mais de um quarto, uma sala e uma cozinha.
Eu vivo em Londres. Nao passo necessidades. Mas nao tenho carro nem grandes luxos. Vou a todo o lado a pe'. Enfrento tempestades com o meu filho nos bracos (literalmente!), ando km com sacos de compras pesadíssimos. Subo e desco as escadas do predio 3 vezes cada vez que chego: uma com o meu filhote ao colo, outra com as compras e finalmente outra com o carrinho de bebe.
E se tivesse o conforto de um carro que me deixasse a' porta do infantário em dia de tempestade, nunca teria apreciado a imensidão branca e o chilrear dos pássaros nas arvores do parque envoltos numa aragem fria que me encheu o coração para todo o dia.