28 janeiro 2006

Finalmente cheguei ás Américas!! Deixaram-me entrar!!!


Ano novo, vida nova!!




Acerca da presente aventura, o que mais me deixava apreensiva era precisamente a viagem de avião.
8 horas sozinha num cubículo possivelmente “habitado” por possíveis terroristas. Uma alfandega rigorosíssima. O peso a mais ( das malas . digo) ..Não foi portanto de ânimo leve que passei a barreira do – tchau vou-me embora . porta-te bem – felicidades para o : ponha o seu saco ali se faz favor. – limas, corta unhas e x-actos tem? .
O computador coitadinho foi desmontado, mas para alem disso e de me pedirem para ver o meu relógio, (coitadito), nada de especial aconteceu.
Ao contrário do que estava á espera: tias loiras com sacos da versace, muidos mimados com franja ridícula, ou árabes de turbantes, a tripulação que viajava comigo consistia essencialmente em casais de meia idade – mais correctamente - de ¾ de idade; de boina e bigode ou de permanente e saia pelo joelho.. (não necessariamente por esta ordem…) com os sacos cheios de produtos regionais e com um Know-How muuito maior que o meu nestas andanças. Confesso que isso sossegou-me um pedaço. Depois de ultrapassados estes senãos e com as malas de viagem já no porão sem me terem acusado de peso em excesso (novamente para que não haja confusões: das malas), dirigi-me mais confiante para o meu lugar –á janela do avião! Eis quando, surge o único ser suspeito e senta-se mesmo ao meu lado! Era mestiço, ou árabe, ou índio, não sei…tinha aquela cor porreira de um final de férias na praia, mas permanente. Não falava. E as poucas palavras que balbuciou eram de um inglês muito forçado. Mas dormiu!! O tempo todo. Portanto só mesmo a aterragem e a alfandega me poderiam chatear agora! Errado, eis quando senão, começam a distribuir inquéritos obrigatórios a entregar na alfandega. Do género: nome , morada de destino, depois;

1 –trago comigo alimentos ( frutas , legumes, carne , peixe).. sim ----- não-------
2 – trago agentes infecciosos sim ---------não-------
3 – trago drogas / armas sim ---------não-------
4 – estou ou já fui procurado pela policia … sim ---------não-------
5 – já pratiquei actos de terrorismo…. sim ---------não-------

E assim sucessivamente..para cumulo dos cúmulos por baixo dizia uma coisa do género;
Caso tenha respondido que sim as questões x e y é melhor dirigir-se á embaixada do seu pais porque pode terdificuldades em entrar nos EUA…

Pelo amor de Deus…

Mas pior de tudo , seria mentir, certo? Respondi a tudo na mais puras das verdades. Até que um hospedeiro veio ter comigo e me diz :

-Menina, é melhor responder que não a tudo.
-Mas eu trago alimentos.
-De que tipo?
-Bacalhau…queijo…( ou seja era mais uma das parolas que ali vinham mas para além de parola pelos vistos, era sincera demais..)
-È muito?
-Aaaaaaa……
-….O pior são os cães…Se dão com isso… Olhe, diga que não. e mal chegue vá buscar a sua mala antes que os cães dêem com ela…


Agora imaginem o estado em que fiquei…CAES?
Eu já nem pensava em mais nada.

Com uma aterragem de sucesso com direito a palmas e tudo, sem ter visto de cima, nem estatua de liberdade nem prédios especialmente altos passei já em terra á alfandega do aeroporto de Newark com uma bandeira americana de 4 m de altura a saudar-me. Estava preparada para tudo. Tinham-me avisado do pior. Nem sei como, não me perguntaram rigorosamente nada, tirei as impressões digitais uma foto para o bush e corri que nem louca para a minha mala!! O CAO la estava a cheirar outra mala. A vitima era outra que trazia um queijo da serra na bagagem de mão…Fugi que nem uma louca!
Estava safa. E a Beta á minha espera.ufa.


Ano novo, vida nova!!

Caderno Vermelho