21 maio 2006

"New-Yorkers are pop-culture-obesessed creatures by nature, making them natural TV fans."


A frase foi proferida pelo autor de um banalíssimo guia de Nova Iorque que de facto, sabia do que estava a falar!
Não deixa de me surpreender a forma como as minhas duas "roomates"(americanas) assistem e vibram com a televisão!! Não estou a falar de ser dependente da televisão ou não. Isso nem se discute...Falo de algo mais profundo... de uma relação intrínseca, inexplicável. Nunca vi ninguém vibrar tanto, viver tanto as emoções televisas como as minhas duas amigas...
Senão, tento explicar. No dia em que a tv cabo foi abaixo, uma delas foi passar a noite a casa de uma amiga. A outra quase chorava ao meu lado e passou a noite a abanar a atena á procura do mínimo sinal. Mas sendo essa a noite da transmissão do último episodio da série favorita das duas, compreende-se....(e só assim compreendo o facto da que ficou em casa passar a noite a ouvir o episódio e a olhar para o formigueiro da tv, quando consegui captar o som! ). Mas tiremos o último episódio de parte, ...a reacção destas mantém-se em tudo o resto...Se há alguém que vai matar alguém num filmezito qualquer, elas gritam de medo!! , Se há uma cabra que trai o namorado numa série, elas ficam indignadíssimas e são capazes de referir o assunto no dia a seguir. Esta semana o ídolos chegou á semifinal. Quando um dos concorrentes (pelos vistos o preferido) foi excluido , ia havendo choro!!!!) .Mais: no final de cada série a que assistem telefonam sempre a amigos para falarem do episódio que acabaram de assitir, como se á partida fosse uma coisa importante para se discutir! Estando na américa, não perceberão elas a diferença entre ficção e realidade? Não seria suposto? Daí a popularidade do fenómeno da sétima arte na América...é que de facto as pessoas vibram e vivem a tv .
Eu apesar de tudo, só encontro uma possível comparação com esta atitude. A da minha avó que coitadinha, julgava que tudo o que via na TV se passava na realidade, e interagia com os actores como se fossem pessoas lá de casa. De resto, tirando a tristeza das notícias e dos concursos de certos canais de TV portugueses, conseguimos criar uma massa espectactiva no mínimo impessoal.

5 comentários:

Anónimo disse...

excelente comentario e real. ate acrescento que a real vida televisiva deles é de fição apenas. pena não ligarem tanto a programas informativos como as noticias e chorarem pela personagem que morreu na serie de televisão X e não pelos mortos diarios no Iraque, isso sim, mortes reais.
renato martins (o autor da foto, eheheh)

An Jo disse...

Quando a sua vida é vazia, tudo é conteúdo importante.

Continua a dar-nos estes pequenos doces civilizacionais norte-americanos.

Mia disse...

Sus, vais ao jantar na 5f nao vais??
Recebi a msg com o teu num novo.
Nos tavamos a combinar ir hj ver o Codigo da vinvi aqui pelo upper east side, queres vir?? As 10h na 86 c terceira.

Mia disse...

Olha, a minha é espanhola e é igual! No fim também liga à amiga porque não percebeu umas partes e no dia a seguir é a conversa da hora de almoço:)
Por acaso isso não foi na 2f e não era aquela dos médicos Grey's anatomy? É que eu oiço relatos muito pormenorizados da coisa lol

gajo disse...

ainda se fosse da "heroes" ;)